26 abril 2008

ÉRAMOS TODOS NEGROS

Drauzio Varella

A você que se orgulha da cor da própria pele (seja ela qual for), tenho um conselho: não seja ridículo

ATÉ ONTEM , éramos todos negros. Você dirá: se gorilas e chimpanzés, nossos parentes mais chegados, também o são, e se os primeiros hominídeos nasceram justamente na África negra há 5 milhões de anos, qual a novidade?


A novidade é que não me refiro a antepassados remotos, do tempo das cavernas (em que medíamos um metro de altura), mas a populações européias e asiáticas com aparência física indistinguível da atual.
.

Folha de São Paulo, Ilustrada

Talvez fosse o caso de repetir a pergunta: “E se Lamarck estivesse certo?” como fez Mauro Rabelo .

O que Drauzio Varella traz é que só é possível identificar indivíduos com grandes semelhanças genéticas quando descendem de populações isoladas por barreiras geográficas que impediram a miscigenação. Isso é possível no mundo globalizado?

No ano passado, foi identificado um gene, SLC24A5, provavelmente responsável pelo aparecimento da pele branca européia.

Desse ponto de vista, vale fazer a perguntar, já posta, o quanto a "civilização" está interferindo com a "seleção natural", tendo em vista que características anti-sobrevivência continuam a aparecer (ex, hemofilia)?

Não importa a conclusão que se pode chegar. O importante mesmo é seguir à risca a recomendação do Drauzio: não seja ridículo.

Um comentário:

Gustavo Zedy Miranda Forte disse...

Obrigado pelo contato via Laboratório de Divulgação Científica. Tenho certeza que temos muito a colaborar. []'s!