10 agosto 2008

FREUD EXPLICA RESPONDE: PROFISSÃO PSICANALISTA

Luiz Fernando pergunta

Ola Rogério,

Percebi que você é biólogo e psicanalista. E temos algo em comum.

Me formei em biologia pela USP-RP, e ao mesmo tempo fiz e faço um curso em psicanálise. E já estou atuando como psicanalista.

Estou cheio de duvidas quando a legislações que envolve essa atividade de psicanalista, sendo que tenho um diploma de biólogo.

Tenho medo de ter problemas futuros com isso.

Você já passou por alguma experiência problemática com isso?

muito obrigado

Freud Explica Responde

Quando você diz “já estou atuando como psicanalista” eu entendo que você está falando de clínica psicanalítica. No que diz respeito à legislação eu digo o seguinte:

1- Não existe no Brasil a regulamentação da profissão de psicanalista. Aliás não é apenas o caso do Brasil. Creio que nem a Áustria regulamentou a profissão de psicanalista.

2- Alguns países como os Estados Unidos, além de não reconhecer a profissão, proíbem o exercício (de psicanálise) por parte qualquer profissional. Lá só existe o psiquiatra e o psicólogo. Com uma formação idêntica a da psicanálise daqui, atuam em seus consultórios (médico ou psicológico) intitulados de psicoterapeutas. Vide o livro “Mentiras no divã” de Irvin D. Yalom.

3- O Brasil difere em muito desse modelo pois aqui existem vários institutos de formação psicanalítica, com diversas denominações: Freud, Lacan, Bion, Winicott, etc.. Alguns, filiados à IPA exigem o diploma de médico e/ou psicólogos para os cursos de formação. A maioria, hoje em dia, aceita profissionais de diversas áreas para o curso de formação, como parece ser o seu caso.

Como já disse anteriormente, no Brasil, pelo menos, não existe a profissão de psicanalista, portanto não existe proibição e nem permissão. O que existe é o jeito brasileiro de resolver as coisas. Os médicos tentaram, e continuam tentando, corporativamente fazer da psicanálise uma disciplina médica. Os psicólogos também já tiveram problemas com isso. Hoje em dia já enfrentam os médicos com igualdade de condições.

Atualmente há até um grupo de evangélicos (cerca de 7.000) que entrou com um pleito de regulamentação da profissão de psicanalista no congresso. O pior é que eles acreditam que podem curar a psicose com Cristo(?).

4- Como não existe, do ponto de vista legal, a profissão de psicanalista, não existe também a clínica de psicanálise. Os médicos embora intitulados de psicanalista, atuam em seus consultórios médicos e os psicólogos também atendem em seus consultórios de psicologia.

5- Na década de 80 iniciou-se aqui no Rio de Janeiro um movimento, intitulado “Os barões da Psicanálise” que tinha como propósito dirimir sobe essas questões, como outras no que diz respeito à Ética.

6- A questão legal agora recai sobre a ação das prefeituras, pois cabe a elas concederem o alvará que permite a atuação do profissional. Quando você vai à prefeitura e procura saber sobre a documentação nescessária, dentre as exigências você encontra uma que diz respeito ao registro no conselho profissional (CRM ou CRP).

No Município do Rio de Janeiro, há cerca de dez anos, vários profissionais; assistentes sociais, engenheiros, professores, jornalistas, biólogos etc. já conseguem seus alvarás junto à prefeitura. Muitos até são médicos ou psicólogos que querem ser identificados como psicanalistas. Essa talvez seja uma tentativa de formalizar a profissão.

Não posso falar com certeza, mas creio que a Cidade de São Paulo também exerce essa prática. Eu mesmo tenho alvará para o exercício clinico na Cidade de Marques de Valença no Estado do Rio de Janeiro, desde o ano de 1999.

6 – Freud quando escreveu a ”A questão da análise leiga”, pensava estar resolvendo esse problema para o futuro. O que conta são as legislações municipais, pelo menos no caso do Brasil.

Espero ter-lhe dado suficientes argumentos para que consiga o seu pleito. Informe-se junto a prefeitura da sua cidade e prossiga na postulação de seus direitos. Eu gostaria de ser informado de seus passos e, se for o caso, posso lhe subsidiar com outras informações.

Desculpe a demora pela resposta de seu e-mail. Você foi muito atencioso para com minhas dúvidas e lhe agradeço.

Você citou o texto de S. Freud "A questão da analise Leiga", e lhe digo que este texto, digere todas minhas preocupações a respeito da nossa prática, sendo que somos biólogos.

A meu ver, se fossemos definir a formação acadêmica e as inclinações pessoais de Freud, enquadraríamos ele muito mais na biologia, do que na medicina ou psicologia (que estava nascendo na época)

Portanto, acredito que Freud era um biólogo, investigativo e curioso cujas idéias se estabelecem e tomam corpo a partir da biologia evolutiva de Darwin (para ele, o grande Darwin, como nos diz o livro de Peter Gay, "Freud, Uma vida para o nosso tempo")

Lhe envio em anexo dois textos que consegui na net, que estão me esclarecendo melhor a psicanálise como pratica.

Alem disso, comecei a ler o livro didático de David Zimerman, Psicanálise, teoria e pratica; e assim penso, como os psicólogos (alguns deles) estão longe de entender o que Freud queria com a psicanálise.

Vemos o movimento de certos psicólogos em definir todas as psicoterapias como pratica exclusiva de psicólogos (lhe envio um anexo sobre esta lei), e se esquecem que a psicanálise e ciência livre de qualquer gueto.

Bom, espero poder continuar nossas correspondências

Isso Freud já fazia. Ele se correspondia com Fliess, Lou Salomé, Ferenczi e com outros numa época que não existia e-mail e as cartas demoravam a chegar aos seus destinos.

Os biólogos de antigamente eram formados em medicina. Não existiam cursos de formação de biólogos. Ferenczi quando escreveu Talassa, era mais biólogo do que psiquiatra do exército, que é o que ele era. Esse é um texto típicamente biológico e o Um Esboço de Psicanálise, de Freud também.

Estarei publicando os seus anexos brevemente.

Também indico o livro “Quando Nietzsche Chorou” de Yalom que toma Breuer como um pendam de Freud. O livro é ficcional enquanto apresentação, mas é verdadeiramente informativo enquanto conteúdo. É incrível como ele conseguiu fazer um encontro pessoal, que nunca houve, parecer verdadeiro e fiel às idéias de cada um.

6 comentários:

Psicanalise Interativa disse...

Boa tarde me chamo Raquel e fiz um curso de psicanallise de 6 anos .
Bom como ambos disseram a psicanalise no Brasil não é reconhecida como medicina e forma terapeutica , porem na Inglaterra e Uruguai a psicanalise é amplamente ultilizada , inclusive em postos de saude publicos.
Com esta façanha de se reconhecer que os males estão dentro e as doenças são seus sintomas , o governo Uruguaio , conseguiu diminuir em 70% o gastos com medicamentos no atendimento publico de saude.
Trazendo isto para o Brasil , teriamos ai um gasto ou seja , um roubo a menor beneficiando carteis de industria farmaceutica .
Então eu nao vejo a psicanalise somente como medicina da alma , que eu acredito piamente que é de onde provem todos os problemas e doenças , e sim vejo como um modo de vida , pois aqui expus somente uma visao que considero importante na aplicação da psicanalise , mas existem milheres delas no dia a dia .

Raquel Reis - www.psicanalisexalma.blogspot.com

josue disse...

Caro psicanalista, gostei da resposta para a pergunta sobre profissão psicanalista. vejo que tem muito conhecimento. contudo, como psicanalista tenho essa como uma ferramenta amais para utilizar na vida da comunidade, pois tambem sou pastor batista da CBB. e seu comentário sobre curar neuroses com Cristo. nesse assunto vejo que não detem muito conhecimento e fez um comentário muito infeliz.as pessoas que vem para igreja nem sempre detem problemas espirituais, mais contemplados com as repressões do passado e precisamos ajudar a equilibrar seus pensamentos e emoções... essa ferramenta é necessária, e a bíblia serve para cara do espirito, ambas são atividade distintas. mas seu comentário é válido para que nós pastores psicanalistas continuemos a trabalhar distintamente.
Josue

GIILMAR FREITAS CARVALHO disse...

ME CHAMO GILMAR
SOU JORNALISTA E TENHO UM JORNAL
-- EM BURITAMA-SP
DENOMINADO JORNAL MANCHETE DA REGIAO E ESTOU CURSANDO MESTRADO EM PSICANALISE CLINICA
VEJO NESSA CIENCIA UMA MAIS DO SABER QUE PODE AJUDAR A ENTENDER MELHOR O SER HUMANO QUE VIVE CONFUSO
ESTOU TERMINANDO O DOUTORADO EM TEOLOGIA E ACHEI NA PSICANALISE UMA BOA ARMA PRA COMPREENDER NOSSA ALMA

projeto dsf(discipulado sem fronteiras) disse...

Prezados, meu nome é Darlan Lima; estou graduado em Ciências da religião, Teologia, especialista em psicologia pastoral e psicanalista de formação; além disso estou graduando em psicologia e psicopedagogia, sou pastor... Tenho pesquisado que a origem da psicanálise aponta para o tabernáculo de Moisés no AT: O átrio representa o ID com a porta do instinto, a mesa do sacrifício do desejo e a bacia de bronze do prazer; no Santo lugar, o EGO, temos o menorah da busca de esclarecimento, a mesa dos pães simbolizando o aprendizado em troca constante e a mesa de incenso simbolizando a busca de interagir com algo novo que seria o Superego instituido no Santíssimo lugar, aonde temos a arca da aliança do inconsciente, descrito como o manah desconhecido, como a impressão da Lei do Pai nas táboas de pedra e a vara cujo nome frutifica e floresce os ttraços de personalidade. Penso que o ser humano é sujeito da neurociências, cujo inconsciente é uma entidade divina que surge na confluência do encontro da fecundação, através da troca de DNA cromossomial, cuja primeira atividade é blindar o ovócito 2, aonde trata de formar o ser ainda informe não consciente cujo primeiro ambiente externo é o ventre da mãe. Esse sujeito cujo hardware é a neurociência e cujo soft é a metáfora do conhecimento da psicanálise, dentro de si passará a ser eliciado externamente pelo behaviorismo, respondendo a ele com a gestalt, o que constitui o inconsciente yunguiano numa escala maior, aonde a psicologia cognitiva adentra na interrelação do homem consigo, o psicodrama adrentra na relação do homem com outro homem no mesmo processo e onde a psicologia social adentra na relação entre os grupos sociais inseridos na mesma realidade, que se constitui em si mesma um fenômeno apriori e a posteriori envolvendo o sujeito e objeto, de estudo da fenomenologia, cuja psicologia humanista adentra mais profundamente, inserindo o uso da psicologia transpessoal para lidar com os fenômenos na fronteira da metapsicologia ou parapsicologia, cuja explicação, a ciências da religião pode responder, principalmente no uso da teologia. Dessa forma, as abordagens psicológicas enriquecem o que a psicanálise e a teologia explicam de forma bilateral. Freud levanta a vara do inconsciente para que o mundo lhe abra as pernas deixando-se fecundar pela psicanálise que expressa a eterna verdade reforçada pela teologia: O homem procura uma abertura instintiva para satisfazer um desejo que envolve uma escolha na busca do prazer que gera um desprazer pelo fato da necessidade de se conhecer mais a possibilidade da perda de tal gozo, aonde persistes numa eterna busca do novo, ao mesmo tempo querendo adquirir e perder algo de si e para si, objetivando ter algo eterno dentro de si mesmo, para não ser esquecido.... Nesse contexto, a ciência que deseja ser religião cientologia e que prega que a ciência é aberta ao novo, não podendo fechar suas verdades, que se pronuncie na operância da opulência de seus sofismas meras crenças sem prova como a teoria da evolução, que na tese é apenas a busca de um ser faltoso em se completar no outro... que somos nós, seres incompletos que carecemos de falar e de sermos ouvidos... Que o mercado norteie o preço da liberdade...

Anônimo disse...

Olá, sou Professor/Psicopedagogo/Psicanalista e Acupunturista, gostei destes comentários, porém faço da pratica psicanalítica não o carro chefe, mais sim uso o termo de PsicoAcupuntor, assim as mas línguas e o jogo de vaidades profissionais não tem como me questionar na visão da Psicanalise. kk

Abraço a todos.

Anônimo disse...

Puxa, tb sou Bióloga e gostei muito da,sua opinião sobre Freud que "estava mais pra um tb," hehe. Quero fazer Psicanálise. Estou pesquisando a respeito. Grata, Vivian.